sábado, 27 de novembro de 2010

InComun

Tenho buscado todo dia
Saber quem eu sou de verdade.
A fé e a coragem não me deixam desistir.
Mas todos me deixam louca,
Querendo opinar e me transformar,
Dizendo o que na sociedade é comum.
Eu quero ser diferente,
Quero ser gente
E não mais um robô
Aguardando mais um comando
Que nem se quer sente sua dor.
Tento não pensar,
Digo não me importar,
Mas toda atitude tomada,
Uma pessoa a mais em minha mente.
Minha mente não e pública.
Quero poder não temer
Em me reinventar
A palavra diferente,
Soa como revoltante
Mas o que eu sou mesmo é inconstante.
Não consigo ser padrão,
Não consigo ter uma só opinião,
Não consigo dizer sempre não.
Eu vou trabalhar contra isso
E eu vou conseguir
E tirar sua idéia daqui
A sua opinião de nada me convém
Só me abate e não me deixa bem.
Eu não quero ter que me dividir
Quero poder ser quem eu sou por dentro,
E no meus pensamentos.
Então verá que não importa o que eu impor
Isso não vai mudar quem eu sou.

Um comentário:

BLOGDEQUEMPENSA disse...

Amei a sua poesia...
Uma sensibilidade rara... como uma pérola.
Parabéns!

Como faço para te seguir?
bjs e boa noite.

Jeferson
http://blogdequempensa.blogspot.com/