sexta-feira, 11 de junho de 2010

Dona de mim


Eu sou capaz do que quero
Não preciso de rótulos para dizer quem sou
Coordeno minha vida como quero
E nem por isso me desespero
Chefe do meu querer
Sem ter o que temer
Rainha do meu coração
Com pouca ilusão
Gerente da minha sabedoria
Ei, quem te deu a autonomia?
Quem é você pra dizer
O que eu tenho que fazer
Achando que não sou capaz
Você não sabe o que faz
Saiba você
Que não tenho o que temer
Eu sei de tudo que posso ter
Dona de mim
Por que a minha vida é assim!

Um comentário:

Reflexões aos ventos disse...

Tempo que não te vejo. Por onde andas?
:D Beijoca